Nota de pesar pelo falecimento de André Gustavo Richer

(Nota do COB)

Entidade (COB) decreta luto oficial por três dias. Bandeira da entidade será hasteada a meio-mastro.

O Comitê Olímpico do Brasil (COB) manifesta seu mais profundo pesar pelo falecimento de André Gustavo Richer, 90 anos, ex-presidente da entidade. Richer faleceu nesta quarta-feira, dia 11, no Rio de Janeiro. O COB decretou luto oficial de três dias e terá sua bandeira hasteada a meio-mastro durante o período.

No COB, André Richer atuou em diversas áreas desde que ingressou na entidade, em 1975: foi diretor jurídico, diretor técnico e Chefe de Missão nos Jogos Olímpico Moscou 1980, Los Angeles 1984 e Seul 1988.

Com o falecimento de Jeronymo Bastos, assumiu a vice-presidência do COB e, entre 1990 e 1995, se tornaria Presidente do COB. Ao fim do período, retornou ao posto de Vice-presidente, cargo ocupado também no Comitê Organizador dos Jogos Pan-americanos Rio 2007.

“Richer teve uma vida inteiramente dedicada ao esporte. Líder nato desde os tempos de atleta olímpico, dedicou seu tempo e enorme energia ao desenvolvimento do esporte brasileiro, assumindo cargos de chefia tanto na CBF quanto no COB. O esporte brasileiro perde um dos seus mais importantes colaboradores”, afirmou o presidente do COB, Paulo Wanderley.

Em sua trajetória como atleta, André Richer, mineiro de Visconde do Rio Branco, colecionou títulos: campeão carioca, brasileiro e sul-americano de remo. Participou também dos Jogos Olímpicos Melbourne 1956 e dos Jogos Pan-americanos de Chicago 1959, sempre defendendo as cores da Seleção Brasileira e do Flamengo.

A fidelidade ao clube de coração o levou à presidência do Flamengo entre 1969 e 1973, experiência que o credenciou a ser diretor da Confederação Brasileira de Futebol entre 1975 e 1986.

Nesse momento de dor, o COB se solidariza aos familiares de André Gustavo Richer e de toda a comunidade do remo brasileiro.

Conheça a trajetória de André Richer:

No COB: Foi diretor técnico, diretor jurídico e presidente (1990 a 1995), e vice-presidente e secretário-geral (1995 a 2016). Chefiou a Missão Brasileira nos Jogos Olímpicos de Moscou (1980), Los Angeles (1984) e Seul (1988) e nas edições dos Jogos Pan-americanos de Caracas (1983), Indianápolis (1987) e Havana (1991).

Antes do COB: Chefiou a delegação brasileira na Copa do Mundo de Futebol na Argentina (1978). Membro do CND (Conselho Nacional de Desportos), de 1974 a 1995. Foi diretor da CBF, de 1975 a 1986. Diretor (1969 a 1979) e vice-presidente (1970 a 1978) para a América Latina da Federação Internacional de Remo. Presidiu o C.R Flamengo entre 1969 e 1973.

No mundo: Foi secretário-geral da ODEPA (Organização Desportiva Pan-americana) até 1995 e da ODESUR (Organização Desportiva Sul-americana) até 1998.